terça-feira, 21 de março de 2017

disto do luto....

quando a minha avó morreu, durante 1 ano acordei a pensar nela, custava-me e doía-me a alma. passado esse tempo o coração acalmou.
quando me separei daquele amor grande da adolescência/jovem adultice também precisei de um ano, lembro-me bem desta comparação.
hoje olhei para a ponte e para o trânsito que vinha de lá para cá. tinha o hábito de o fazer, para ver se ias demorar muito. de há coisa de um ano para cá, esse hábito passou a custar. não todos os dias, só às vezes. tal como passaram a custar outras coisas, outras datas... é parvo perder amigos. mais parvo ainda é perder amigos que não são dos teus, daqueles em que não podes por a mão na anca, ou no coração, e perguntar que raio se está a passar para se estarem a afastar... é isso que eu faço, só largo quando percebo. e não o pude fazer. sinto que perdi amigos dos teus sem saber ao certo o que se passou. foram coisas vossas. mas também os perdi. e custou-me muito. e doeu a alma.
hoje olhei para a ponte e para o trânsito de lá para cá e não custou. o lado de lá já não diz nada. tenho pena, mas não diz. o coração acalmou.
um ano, está visto que é a data que preciso para me resolver.
a vida deu uma volta grande e voltou ao início.
já a vejo calma e com outros olhos.

p.S.: é dos posts diário, para voltar aqui Arthur que for preciso.

1 comentário:

  1. Cientificamente provado! :) Agora que te encontrei também aqui, não te vou largar ;) Tens que escrever mais vezes..
    Love u!

    ResponderEliminar